Cesar Maia não abre mão de dispor dos depósitos em juízo

No dia seguinte da manobra do deputado Rodrigo Maia(PFL-RJ) que impediu a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), o prefeito do Rio, Cesar Maia, pai do parlamentar,disse que vai levar adiante o embate com o Banco do Brasil. O prefeito não abre mão de dispor de 70% dos depósitos em juízofeitos pela prefeitura e o BB aceita tornar disponíveis apenas 40%. O impasse levou o deputado pefelista a pedir verificação dequórum, o que suspendeu a votação e adiou o recesso no Congresso. Na noite de quinta-feira, o prefeito, candidato à reeleição, expôs seus motivos por telefone ao ministros da CoordenaçãoPolítica, Aldo Rebelo, do Planejamento, Guido Mantega, ao líder do governo na Câmara, Professor Luizinho, e a representantesdos ministérios da Fazenda e do Banco do Brasil. ?Eu disse a todos eles: ?Estão aplicando um golpe na Federação de extremagravidade?. Estava tudo bem encaminhado até que veio uma contra-ordem, de que o acesso seria de 40% e não de 70% ?,relatou o prefeito.Maia, no entanto, disse que no governo de Luiz Inácio Lula da Silva foram aprovadas mais medidas em favor da cidadedo Rio do que em todos os governos anteriores desde o general João Figueiredo, ?inclusive os dois mandatos de FernandoHenrique Cardoso?. O PFL fez parte da base aliada nos oito anos de governo tucano. Maia afirmou também que tem ?excelente relação com os ministros? e que as pendências da prefeitura ?basicamente vêm dogoverno anterior?. A lei que permiteo acesso aos depósitos em juízo é de autoria de Rodrigo Maia e foi aprovada no fim do ano passado e sancionada pelopresidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.