Cesar Maia diz que presidente da CNT é sócio de Marcos Valério

O prefeito do Rio de Janeiro, Cesar Maia (PFL), cita o presidente da Confederação Nacional de Transportes (CNT), Clésio Andrade, como sócio de Marcos Valério, acusado de ser o operador do mensalão e do caixa 2 do PT. Maia, que apóia José Serra (PSDB) para a Presidência da República, usa isso como um argumento para contestar a validade da pesquisa CNT/Sensus que mostra Lula como favorito nas eleições.Maia escreveu em e-mail respondendo à Agência Estado que Andrade foi sócio de Valério em agência de publicidade em sociedade com Valério e "depois ´vendeu-a´" ao próprio Valério. Maia escreveu que "Clésio sacou 7 milhões de reais em espécie do Banco Rural nas contas valerianas", citando reportagem de um jornal. Clésio Andrade, além de presidente da CNT, também é vice do governador Aécio Neves (MG-PSDB).O prefeito também aponta no e-mail o que considera como "mais uma fraude na pesquisa": o fato de a simulação com José Maria Eymael e Roberto Freire (lista 5) mudar totalmente o quadro em algumas regiões, em relação à lista 3, sem esses candidatos. No Sudeste, com esses dois candidatos, Serra sobe de 29,1% para 34,6%, enquanto Lula cai de 37,1% para 28,5%. "Parece que os moradores do Sudeste que votariam no Lula passaram a votar no Serra com a entrada de Eymael e Freire...???", questiona Maia.Ele observa ainda que no Centro-Oeste se dá o efeito contrário, com a entrada dos dois candidatos provocando um empate entre Serra e Lula na região, onde, sem Eymael e Freira, segundo a pesquisa, Serra teria 38,7% e Lula, 30,7%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.