Cesar Maia demite assessores que apoiaram seu desafeto

Prefeito alega coincidência e nega retaliações, mas afasta justamente quem aderiu a Paes

Alexandre Rodrigues, RIO, O Estadao de S.Paulo

29 de outubro de 2008 | 00h00

Logo depois de ver seu desafeto Eduardo Paes (PMDB) vencer a eleição no Rio, o prefeito Cesar Maia (DEM) resolveu trocar alguns de seus principais auxiliares. Apesar de alegar se tratar de coincidência e negar retaliações, Maia decidiu afastar do governo correligionários que não o acompanharam no apoio a Fernando Gabeira (PV) e aderiram a Paes. Deixam o governo de Maia dois nomes conhecidos do DEM fluminense: a ex-deputada Laura Carneiro, que era assessora especial do gabinete do prefeito há cerca de dois anos, e o secretário municipal de Transportes, Arolde de Oliveira. Laura recusou-se a apoiar Gabeira e atuou em favor de Paes no segundo turno. Oliveira foi mais discreto na adesão a Paes na segunda etapa, mas sua mulher, Yvelise de Oliveira, apoiou o peemedebista desde o primeiro turno. As exonerações se somaram às queixas de militantes ligados aos vereadores Sílvia Pontes (DEM) e Wanderley Mariz (DEM), que também aderiram a Paes. A vereadora reclama do fim de projetos esportivos em vários bairros que teriam sido criados pela prefeitura por iniciativa dela. Segundo Sílvia, os treinadores receberam aviso prévio logo após a vereadora mergulhar na campanha de Paes. Mariz também teria visto indicados seus serem afastados.O prefeito alega que os contratos dos projetos esportivos ligados à vereadora se encerraram coincidentemente no período eleitoral. Segundo ele, a ex-deputada Laura Carneiro deixou o cargo a pedido, porque gostaria de voltar a Brasília, onde tem matrícula como funcionária pública. "Ela havia pedido para sair e eu fui incapaz de afastá-la antes das eleições. É exatamente o contrário", argumentou. Laura não foi encontrada pelo Estado, mas pessoas próximas disseram que ela ficou surpresa com a exoneração antes de dezembro, mas não se queixou do prefeito. Encarou como uma decisão natural em fim de mandato. Oliveira não quis atender ao Estado, mas Maia confirmou sua demissão dizendo que foi a pedido do próprio secretário. Segundo o prefeito, Oliveira o avisou em junho da posição da mulher e agora pediu para reassumir o mandato de deputado federal."Sempre que os atos coincidem com datas se especula a respeito", disse o prefeito, negando perseguição. No entanto, o prefeito aproveitará as mudanças para premiar pelo menos dois candidatos a vereador do DEM derrotados que arregaçaram as mangas por Gabeira. Embora Maia não confirme, correligionários dão como certa a indicação do ex-vereador Romualdo Boaventura para o lugar de Oliveira. Célio Luparelli, que também tentou a Câmara, é o novo secretário de Meio Ambiente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.