Cesar Maia critica projeto de Tasso para aumentar Bolsa Família

Ex-prefeito aponta supostos equívocos à iniciativa e diz que proposta 'não ajuda seu candidato a presidente'

Alfredo Junqueira, de O Estado de S.Paulo,

03 de março de 2010 | 18h40

Não foi apenas do PT que o projeto do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), que vincula o aumento do Bolsa Família ao bom desempenho escolar das crianças recebeu críticas. Aprovada em caráter definitivo na Comissão de Educação do Senado, a proposta também foi mal avaliada pelo ex-prefeito do Rio Cesar Maia, um dos principais expoentes do DEM - principal aliado dos tucanos nas eleições de outubro.

 

O democrata aponta supostos equívocos conceituais à iniciativa e afirma que a proposta "não ajuda seu candidato a presidente". De acordo com Cesar Maia, a criação de estímulos que reconheçam o desempenho do aluno é responsabilidade direta de escolas, em programas desenvolvidos por estados e municípios. "Incluir isso no Bolsa Família é confundir assistência social com educação. E ainda criar insegurança em relação ao programa", afirmou o ex-prefeito.

 

As críticas foram distribuídas por Cesar Maia em seu ex-blog - uma espécie de boletim eletrônico diário. Segundo dados do ex-prefeito, mais de 35 mil pessoas recebem a publicação. Os informes trazem análises políticas e críticas a adversários. Na edição de ontem, por exemplo, além do senador tucano, também são alvos dos texto do democrata o governador do Rio, Sérgio Cabral Filho (PMDB), e seu projeto de reforma do Maracanã para a Copa de 2014, e o atual prefeito da cidade, Eduardo Paes (PMDB).

Presidente nacional do DEM e filho de Cesar Maia, o deputado federal Rodrigo Maia (RJ), afirmou que as críticas do ex-prefeito se concentram apenas nos aspectos técnico do projeto do senador Jereissati e garantiu que a relação do partido com os tucanos é boa.

 

"Estamos juntos. Não tem ruído. O ex-prefeito é um estudioso e faz críticas técnicas, e não políticas", garantiu o presidente do DEM. Segundo ele, Jereissati é tão próximo do partido que chegou a participar das debates sobre a sucessão na presidência da legenda no diretório do Ceará, após o fim do mandato do ex-deputado Moroni Torgan.

 

Na reta final de seu terceiro mandato na Prefeitura do Rio, Cesar Maia chegou a editar um decreto em que estabelecia gratificação em dinheiro a alunos da rede municipal que tivessem bom desempenho escolar. Os prêmios poderiam chegar a R$ 4,5 mil aos estudantes que mantivessem conceito "muito bom". A atual administração alterou o decreto e substituiu a premiação em dinheiro por netbooks. Os alunos que se destacarem, em todas as disciplinas, com notas 9 e 10 serão premiados.

Mais conteúdo sobre:
Cesar MaiaTassoBolsa Família

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.