Roberto Stuckert Filho/Divulgação
Roberto Stuckert Filho/Divulgação

César Borges assume Transportes e Passos é indicado para ANTT

Em cerimônia de posse do novo titular da pasta, presidente Dilma Rousseff confirma indicação de ex-ministro para comando da Agência Nacional de Transportes Terrestres

O Estado de S.Paulo - atualizado às 11h06

03 Abril 2013 | 10h42

O ex-governador baiano César Borges assumiu o Ministério dos Transportes nesta quarta-feira, 3. Como era esperado, a presidente Dilma Rousseff anunciou a indicação do ex-titular da pasta Paulo Sérgio Passos para a direção da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

 

Com a nomeação de César Borges, o PR volta a integrar o primeiro escalão do governo, que havia deixado após essas denúncias. Embora Passos seja filiado ao partido, ele não era reconhecido como escolha da legenda. Na solenidade, de forma atípica, o ministro que deixou a pasta e o que entrou não discursaram. Segundo Dilma, a posse de César Borges consolida a participação do PR na coalizão do governo. Dilma disse que o PR está no governo desde o momento em que José Alencar, morto em 2011, concorreu como vice-presidente na chapa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, nas eleições de 2002.

 

A presidente disse que o novo ministro, César Borges, encontrará "um time muito mais afinado" dentro da pasta do que no início do governo. Dilma citou órgãos ligados ao ministério, como o Departamento Nacional de Infraestrutura (DNIT) e a Valec. Dilma substituiu toda a diretoria desses dois órgãos quando afastou o ex-ministro Alfredo Nascimento da pasta, após denúncias de irregularidades, em 2011. Nascimento, presidente do PR, estava presente na plateia junto com outros parlamentares do partido.

 

As mudanças nos ministérios fazem parte de uma séria de ajustes que visam reforçar a base de apoio à presidente em sua campanha à reeleição. Há duas semanas, Dilma anunciou a troca no comando dos ministérios do Trabalho e da Agricultura e na Secretaria de Aviação Civil.

 

Ferrovia. Em seu discurso, Dilma destacou a importância do transporte ferroviário e destacou os investimentos feitos pelo governo no setor.  "Nunca houve um surto ferroviário", afirmou, ressaltando que essa expansão era necessária devido a essa vocação do País. / Anne Warth, Denise Madueño e Rafael Moraes Moura

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.