Cerveró passa mal e é atendido por Samu na carceragem da PF

Cerveró passa mal e é atendido por Samu na carceragem da PF

Ex-diretor da área Internacional da Petrobrás, investigado pela Operação Lava Jato, teve pico de pressão arterial

Andreza Matais, O Estado de S. Paulo

04 Fevereiro 2015 | 09h49

 

Atualizado às 10h39

 

Brasília - O ex-diretor da área Internacional da Petrobrás Nestor Cerveró passou mal nesta manhã na carceragem da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR), onde está preso. Ele teve um pico de pressão arterial e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado para atendê-lo.

Após o atendimento, a equipe médica constatou que a alta da pressão ocorreu por causa de ansiedade e foi descartada a necessidade de transferir Cerveró para um hospital.

 

O ex-diretor da Petrobrás foi preso no dia 14 de janeiro, acusado de envolvimento no esquema de corrupção na Petrobrás, investigado pela Operação Lavo Jato da PF. Até o momento, ele se recusa a colaborar com as investigações.

 

Cerveró foi acusado pela presidente Dilma Rousseff, em nota enviada ao Estado  no ano passado, de omitir informações ao Conselho de Administração da Petrobrás sobre a compra da Refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), pela petroleira. O negócio causou prejuízo bilionário à estatal e, segundo delatores ouvidos na Lava Jato, foi fechado mediante pagamento de propinas para dirigentes da empresa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.