Cervejaria é condenada a pagar indenização a funcionário

Após dez anos brigando na Justiça, o mestre cervejeiro Bernd Näveke, de 52, ganhou o direito a uma indenização, cujo valor ainda não foi fixado, da cervejaria Brahma, transformada em AmBev após fusão com a Antártica. Foram mais de três décadas na companhia, boa parte delas ingerindo entre seis e oito litros diários de cerveja. Resultado: alcoolismo e aposentadoria precoce por invalidez.O advogado Sérgio Fisher, representante de Näveke, informou que a decisão do Superior Tribunal de Justiça foi confirmada na semana passada pelo Supremo Tribunal Federal e agora é definitiva. A AmBev informou que não comentará o caso por desconhecer a sentença. O processo já retornou para o Tribunal de Justiça do Rio, que publicará o mandado de citação contra a empresa no Diário Oficial do Poder Judiciário de segunda-feira.O valor da indenização deve ser objeto de novo processo, que também pode levar anos. Um especialista contratado por Fisher calculou que o cervejeiro deve receber mais de R$ 6 milhões, referentes a pensões vencidas, acrescidas de juros, além de danos morais. A isso, informa o advogado, devem somar-se ainda uma verba referente aos gastos com tratamento médico e uma pensão que será descontada em folha de pagamento. "A Brahma não produz alegria, como na propaganda, mas muita aflição para as famílias (dos alcoólatras)", afirma Näveke.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.