Cerimônia dá início ao Fórum Social Mundial

Representantes de movimentos negros apresentaram músicas, leram poesias e pediram equidade entre os povos

Agência Brasil,

27 de janeiro de 2009 | 17h16

Está aberta oficialmente a nona edição do Fórum Social Mundial. Sob o som de atabaques africanos, uma cerimônia que evocou orixás pediu a proteção dos deuses para o maior evento de movimentos sociais que acontece em Belém, no Pará, desta terça-feira, 27, até domingo.  Veja também:Marcha marca abertura oficial do Fórum Social MundialFórum Social Mundial reúne 90 mil em Belém Galeria de fotos do Fórum Social Mundial Em cima de um carro de som, representantes das comunidades quilombolas e movimentos negros de Belém apresentaram músicas, leram poesias e pediram equidade entre os povos do planeta. O babalorixá Edson Catendé espera que a cerimônia africana, na abertura do fórum, também contribua para reduzir a discriminação racial na capital paraense.  "Espero que a mobilização sirva para diminuir o racismo aqui em Belém. Os terreiros são vítima de intolerância religiosa e jovens negros são assassinados." A marcha já começou a se movimentar pela Avenida Presidente Vargas e o cortejo deve seguir até a Praça do Operário, num percurso de cerca de quatro quilômetros. No momento, chove forte na capital paraense e os manifestantes aproveitaram para estender uma faixa com os dizeres: "A chuva que cai sobre a nossas cabeças é a chuva de um novo amanhã, de um outro mundo possível".

Tudo o que sabemos sobre:
Fórum Social Mundial

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.