Imagem Eliane Cantanhêde
Colunista
Eliane Cantanhêde
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Cerco se fecha contra Bolsonaro: CPI tem provas cabais e reúne juristas para definir crimes

E-mails das farmacêuticas Pfizer e Sinovac alertando as embaixadas brasileiras nos EUA e na China sobre obstáculos criados pela ação ou omissão do governo para o fornecimento de vacinas e insumos estão entre os documentos reunidos

Eliane Cantanhêde, O Estado de S.Paulo

11 de junho de 2021 | 12h05

O novo episódio de Por dentro da CPI com Eliane Cantanhêde já está no ar. A jornalista analisa os trabalhos da CPI da Covid, na última semana, e mostra que os senadores já têm provas cabais do descaso do governo Jair Bolsonaro na compra de vacinas para enfrentar a pandemia no Brasil. Entre os documentos reunidos pelo colegiado, Eliane destaca e-mails das farmacêuticas Pfizer e Sinovac alertando as embaixadas brasileiras nos EUA e na China sobre obstáculos criados pela ação ou omissão do governo para o fornecimento das vacinas da Pfizer e insumos para a fabricação da Coronavac. A jornalista também revela a estratégia do presidente, que ataca o uso de máscaras acuado pelas provas. A CPI já reúne juristas para tipificar todos os crimes cometidos até agora por Bolsonaro e seu governo no enfrentamento da covid. Não perca!

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.