Cerca de R$ 5 mi estão retidos por ações do TCU

Não foram só os cortes orçamentários do governo, em decorrência da crise econômica, que afetaram o Pronera. Parte considerável dos recursos já liberados - cerca de R$ 5 milhões - estão retidos nos cofres do governo em decorrência de ações do Tribunal de Contas da União (TCU).Após irregularidades em diversos convênios celebrados entre o Incra e instituições de ensino, algumas delas mantidas por ONGs, os ministros recomendaram ao governo que passasse a substituir os convênios por contratos. Para o TCU, isso permitiria um controle melhor dos gastos.A mudança surpreendeu o comando do Pronera. Vários convênios que estavam sendo finalizados tiveram que ser paralisados e revistos. Entre as instituições atingidas com a suspensão encontram-se a Universidade Estadual do Rio de Janeiro, a USP, a Unicamp e a Universidade Católica de Brasília.Para os dirigentes do Pronera, o convênio é a melhor forma de levar adiantes os programas educacionais dos assentamentos, uma vez que visam a cooperação mútua, sem busca de lucros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.