Cerca de mil trabalhadores ocupam prédio público em Fortaleza

Mobilização conhecida como Jornada Nacional de Lutas ocorre desde a mardugada de segunda-feira

Carmen Pompeu, de O Estado de S.Paulo,

23 de agosto de 2011 | 16h58

Trabalhadores rurais ligados à Via Campesina ocupam, desde a madrugada desta terça-feira, 23, o prédio do Departamento Nacional de Obras contra a Seca (Dnocs), no centro de Fortaleza, no Ceará. Alguns deles se concentraram próximo ao prédio da Caixa Econômica Federal (CEF), complicando o trânsito nas ruas Osvaldo Cruz, no bairro Aldeota.

 

 

São mais de mil trabalhadores de diversos municípios cearenses. A mobilização faz parte da Jornada Nacional de Lutas, que acontece em todo o País com o objetivo de cobrar um plano emergencial do governo federal para o assentamento de 60 mil famílias acampadas. Segundo a coordenação da Via Campesina, existem famílias acampadas há mais de cinco anos, vivendo em situação difícil. No Ceará são mais de 3.000 mil acampadas.

 

 

A pauta da jornada é nacional, mas existem pontos específicos da região Nordeste como a construção de escolas em assentamentos e reassentamentos, infraestrutura para as famílias e projetos de irrigação para a produção nas áreas rurais. No Ceará, os manifestantes pedem a proibição da pulverização aérea de agrotóxicos na Chapada do Apodi, divisa com o Rio Grande do Norte. Também cobram políticas de acesso a água e rejeitam a construção de barragens. A luta também é pela redução das tarifas de energia, água e gás.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.