Cerca de mil pessoas no enterro do sindicalista assassinado no Rio

Cerca de mil pessoas acompanharam no final da manhã de hoje o enterro do presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Energia Elétrica e integrante da executiva nacional da CUT, Aldamir Carlos dos Santos, morto na noite de sábado com um tiro na cabeça. Para o presidente nacional da CUT, João Felício, o crime teria motivação política. Ele deverá se reunir à tarde com o secretário da Segurança Pública do Rio, coronel Josias Quintal, para cobrar apuração do caso. O assassinato de Santos está registrado na 34.ª Delegacia de Polícia, em Bangu, como decorrente de uma tentativa de assalto. Segundo o delegado Irineu Barroso, Santos teria sido abordado por um assaltante. O criminoso fugiu. "Se fosse uma execução encomendada, ele teria dado mais de um tiro para garantir", disse o delegado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.