Centrais cobram citação a empresas aliadas do regime

Em evento realizado ontem em São Paulo, representantes das dez centrais sindicais de trabalhadores do País pediram a responsabilização de empresas que estimularam e apoiaram a perseguição de funcionários, especialmente os que eram ligados ao movimento sindical, nos anos da ditadura militar.

O Estado de S.Paulo

09 de dezembro de 2014 | 02h00

As intervenções das lideranças dos trabalhadores ocorreram durante ato público no qual foram divulgadas as principais conclusões do grupo de trabalho da Comissão Nacional da Verdade que investigou as violações dos direitos dos trabalhadores no período autoritário.

"Queremos justiça e reparação. Não nos contentamos apenas com a apuração da verdade", disse durante o evento a advogada Rosa Cardoso, integrante da Comissão Nacional e coordenadora do grupo de trabalho.

Ela também disse que a responsabilização não seria necessariamente criminal, ou em termos de indenização individual dos trabalhadores perseguidos. As empresas identificadas nas investigações do grupo poderiam ser obrigadas a constituir um fundo comum destinado a ações de fortalecimento da democracia e do respeito aos direitos dos trabalhadores.

O grupo identificou um conjunto de 24 empresas que teriam colaborado com as forças de repressão política, perseguindo funcionários por suas atividades sindicais ou porque manifestavam discordância com o regime. Elas estão localizadas sobretudo em São Paulo, na região do ABC Paulista e no Vale do Paraíba. A lista inclui empresas privadas brasileiras e estrangeiras e também estatais. / R.A.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.