Centrais apóiam Luiz Marinho no Ministério do Trabalho

A Força Sindical e a Confederação Geral dos Trabalhadores (CGT) declararam nesta segunda-feira seu apoio à permanência de Luiz Marinho (PT), ex-presidente da Central Única dos Trabalhadores, no Ministério do Trabalho e Emprego. Já a CUT disse que não se posicionará sobre a escolha ministerial, já que apóia o governo e essa é uma decisão que compete somente ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Na última semana, o nome de Marta Suplicy (PT), ex-prefeita de São Paulo, foi cotado para substituir Luiz Marinho.Líderes da base governista reagiram a um possível aumento do número de pastas presididas pelo PT e sugeriram ao presidente Lula que substituísse um petista por outro no Ministério do Trabalho e Emprego, ou seja, que trocasse Luiz Marinho por Marta Suplicy. Desde julho de 2005 no comando da pasta, Luiz Marinho foi responsável pela negociação com as centrais sindicais do aumento do salário mínimo de R$ 300 para R$ 350, em março de 2006.O PT quer emplacar Marta Suplicy em algum ministério popular, para beneficiar uma possível candidatura presidencial da ex-prefeita em 2010. Marta já foi cotada para os Ministérios de Cidades, no lugar de Márcio Fortes (PP), e da Educação, substituindo Fernando Haddad.O PP defende com entusiasmo sua permanência em Cidades e provocou polêmica ao dizer que Lula havia garantido esse Ministério para o partido. Já o PT diz que gostaria de ver Marta em Cidades porque esse Ministério pertencia historicamente à sigla antes de ser dado ao PP.Sobre a pasta de Educação, Lula já afirmou gostar dos ministros técnicos, como Haddad, e demonstrou não ter intenção de tirá-lo do cargo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.