Centenário de JK terá festa no Alvorada

O presidente Fernando Henrique Cardoso abrirá as portas do Alvorada, na próxima quinta-feira, para comemorar o centenário do ex-presidente Juscelino Kubitschek. Ele transformará o evento numa grande festa política e cultural, com direito até a Orquestra de Violeiros para relembrar o espírito seresteiro de JK, político que candidatos à sucessão de Fernando Henrique tentam imitar. Mais uma festa palaciana com ares de despedidas.O ministro da Cultura e presidente da Comissão Nacional do Centenário, Francisco Weffort, apresentou hoje a receita para tanto sucesso. "JK combinou, ao mesmo tempo, desenvolvimento e democracia política." Segundo o ministro, JK inaugurou um estilo de política elegante, bem-humorado, aberto ao diálogo, tolerante e capaz de perdoar inclusive responsáveis pela tentativa de golpe do qual foi vítima. Durante o governo de Juscelino, enfatizou o ministro, houve um "extraordinário crescimento na economia, no emprego e nos salários", no País - metas invejadas em plena crise econômica e almejadas pelos candidatos atuais. Weffort atribuiu também a JK a responsabilidade pela virada do Brasil rural para o moderno, urbanizado e industrializado. "O ex-presidente costumava sair cantando pelo meio da rua", disse o ministro. Juscelino, que completa 100 anos de seu nascimento no dia 12, receberá inúmeras homenagens em Brasília, Diamantina - onde nasceu -, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. O governo federal, por exemplo, lançará moeda bimetálica de R$ 1,00, de circulação nacional, com a efígie de JK. Para colecionadores, serão editadas moedas de ouro de R$ 20,00 e prata de R$ 2,00. Em comemoração ao centenário ainda foram produzidos livros, discos e até um documentário do cineasta Silvio Tendler. Na terra natal de JK, o auge das comemorações ocorrerá com a chegada da Expedição Brasília-Diamantina, uma cavalgada que teve início no dia 23 passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.