Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

CENÁRIO: Atento, presidente remarca o território

A seu modo e estilo, Bolsonaro tem trabalhado para manter a pista livre

Alberto Bombig, O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2019 | 19h54

Jair Bolsonaro verbalizou o que os políticos mais perspicazes já haviam percebido: o presidente, a seu modo e estilo, tem trabalhado para manter a pista livre rumo a mais um mandato a partir da eleição de 2022.

Em seis meses de Planalto, Bolsonaro fez dos limões colhidos por Sérgio Moro e Paulo Guedes (os superministros até bem pouco sempre lembrados como alternativas à sua sucessão) uma doce limonada: mostrou que quem manda no governo é o presidente.

Fora de seu raio de poder, Bolsonaro tem acompanhado as movimentações de João Doria (PSDB) e Wilson Witzel (PSC), cada vez mais candidatos. Isso sem falar no vice-presidente, Hamilton Mourão, que deve respeito mas não vassalagem a Bolsonaro e também se movimenta como se estivesse em campanha.

Na outra ponta, pesam os ensaios de reagrupamento da esquerda. Num momento em que a reforma da Previdência avança e dá sinais de esperança ao governo, Bolsonaro, atento, decidiu que já era hora de remarcar território na centro-direita. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.