Cena de sexo embala briga política no CE

Revista da prefeitura tinha foto explícita

O Estadao de S.Paulo

07 de setembro de 2022 | 00h00

Uma reportagem sobre prostituição em Fortaleza publicada pela revista Farol, da Fundação de Cultura, Esporte e Turismo do município, está causando polêmica na cidade. O líder do PSDB na Assembléia, João Jaime, por exemplo, promete processar a prefeitura por "atentado ao pudor e incentivo ao rufianismo".A reportagem de capa da edição nº 3 da Farol fala do centro "invisível" de Fortaleza. Sob o título Sexo, verdade e videotape, a reportagem originalmente trazia a foto de um ménage à trois. Segundo o deputado estadual Artur Bruno (PT), contudo, assim que soube do caso, a prefeita Luizianne Lins (PT) ordenou a retirada da foto e a reimpressão dos 25 mil exemplares da publicação. "A revista ainda não havia sido distribuída e foi providenciada a reimpressão de toda a tiragem", garantiu Bruno. "Houve um equívoco e a prefeitura reconhece isso. Apesar disso, a revista é excelente e não pode ser denegrida por uma foto."Mas não acalmou a oposição. "O texto se refere a práticas de sexo dentro das cabines do cinema, diz que o sexo é moeda para discretos negócios e indica o preço de R$ 60 a hora com jovens dispostas a tudo", denunciou o deputado estadual tucano Fernando Hugo.Hugo assegurou que algumas escolas, entidades públicas e organizações governamentais já tinham recebido a primeira impressão, quando foi decidida a censura da foto. "As crianças das escolas públicas chegaram em casa com essa revista, mostrando a fotografia de uma mulher com dois homens."A jornalista Ethel de Paula, editora da Farol, reconheceu o erro. "Quando vimos na tela do computador a foto estava desfocada, mas quando passou para a impressão a consideramos inadequada e recolhemos toda tiragem para nova impressão, sem a foto, e colocamos outra matéria sobre o centro." Segundo ela, não houve distribuição massiva da revista com a foto censurada. "Só tínhamos distribuído poucos exemplares que foram imediatamente recolhidos."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.