Rosinei Coutinho/STF
Rosinei Coutinho/STF

Celso de Mello diz que só irá analisar na próxima semana pedido de anulação da delação da JBS

Documento é assinado por advogados do Instituto Brasileiro do Direito de Defesa

Isadora Peron e Breno Pires, O Estado de S.Paulo

25 de maio de 2017 | 15h10

BRASÍLIA - O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou nesta quinta-feira, 25, que vai receber os representantes do Instituto Brasileiro do Direito de Defesa (Ibradd) na próxima semana e, somente depois, vai analisar o mandado de segurança da entidade que pede a anulação dos termos da delação premiada assinada pelos executivos da JBS. 

O documento foi assinado por cinco advogados e recomenda ao STF que considere o acordo como inconstitucional. Para o instituto, as condições acordadas entre delatores e a Justiça ferem a Constituição. 

Na peça enviada ao Supremo, o Ibradd sustenta que "o conteúdo light e excepcionalmente benevolente e generoso do referido acordo de colaboração premiada, em favor dos referidos colaboradores e desfavor da coletividade brasileira, viola os princípios da proporcionalidade, razoabilidade e moralidade".

Nos bastidores, ministros da Corte dizem acreditar que o pedido do mandado de segurança não deverá ser atendido. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.