ANDRÉ DUSEK/ESTADÃO
ANDRÉ DUSEK/ESTADÃO

Celso de Mello diz que parâmetros que nortearão decisão do STF são 'eminentemente jurídicos'

Julgamento desta quarta-feira, 20, no Supremo analisará pedido da defesa de Temer para suspender segunda denúncia contra o presidente

Carla Araújo, Breno Pires, Rafael Moraes Moura e Beatriz Bulla, O Estado de S.Paulo

20 Setembro 2017 | 15h05

BRASÍLIA - O ministro do Supremo Tribunal Federal, Celso de Mello, afirmou nesta quarta-feira, 20, ao chegar para sessão plenária, que o julgamento será "eminentemente jurídico" e não político. Os magistrados retomam agora à tarde o julgamento de uma questão de ordem sobre o processamento da denúncia apresentada pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente Michel Temer pelos crimes de organização criminosa e obstrução de Justiça. "De modo algum [o julgamento será político]. Os parâmetros que vão nortear o Supremo Tribunal Federal são de natureza institucional e eminentemente jurídico", afirmou.

+ AO VIVO Acompanhe o julgamento na Corte

Segundo ele, o relator do caso ministro Edson Fachin tem dado "a celeridade necessária" aos pedidos e a decisão deve sair hoje. "Espero que o julgamento ocorra hoje e seja resolvido logo questão de ordem", disse. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.