Ed Ferreira/Estadão
Ed Ferreira/Estadão

Celso de Mello afirma acreditar no instituto das delações premiadas

O ministro se posicionou sobre o assunto na chegada da sessão que discutirá as diretrizes do juiz que julgará a homologação das delações

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de junho de 2017 | 15h20

BRASÍLIA - O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse esperar que o instituto das delações premiadas não esteja ameaçado. O político comentou o futuro das delações na chegada da sessão em que a Corte discute as diretrizes que devem pautar a atuação do juiz que receber um acordo de colaboração premiada para homologação.

"O instituto das delações premiadas tem se mostrado extremamente eficaz no combate à criminalidade, especialmente, dos crimes do colarinho branco e delitos contra o sistema financeiro nacional e lavagem de dinheiro", disse.

Celso de Mello também afirmou que, em relação especificamente ao Grupo J&F, prevê um "tribunal dividido" quanto a possibilidade de anular o acordo de colaboração firmado pelo grupo com o Ministério Público Federal.

O ministro lembrou que a primeira discussão é sobre os "os limites da atuação do juiz na homologação", apontando o primeiro ponto da discussão levada ao plenário do STF pelo ministro Edson Fachin. Celso de Mello diz que essa discussão apontará "diretriz e critérios para orientar juízes e tribunais".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.