Celso Amorim se reunirá com presidente boliviano em La Paz

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, se reunirá com o presidente da Bolívia, Evo Morales, durante a visita que realizará a La Paz amanhã e segunda-feira, informaram hoje fontes oficiais.O encontro permitirá um "diálogo político" para reforçar a cooperação e a integração bilateral, e para abordar "aspectos relativos à proteção dos interesses da população brasileira residente na Bolívia", afirma um comunicado do Itamaraty.Segundo a nota, Amorim dará seguimento aos assuntos abordados no encontro que entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e Morales há uma semana, em Viena.Nessa oportunidade, os dois presidentes abordaram as divergências que surgiram desde que o Governo boliviano decretou a nacionalização dos hidrocarbonetos, decisão que afetou os interesses da Petrobras, a maior empresa estrangeira no país andino, com investimentos no valor de aproximadamente US$ 1,5 bilhão.A decisão também gerou temores sobre o abastecimento de gás natural no Brasil, que recebe diariamente 26 milhões de metros cúbicos do combustível procedentes da Bolívia, praticamente a metade do consumo brasileiro.Também surgiram temores sobre os efeitos que a anunciada reforma agrária de Morales terá sobre os brasileiros que cultivam soja no país vizinho, onde são os principais produtores, e sobre milhares de pequenos agricultores e camponeses brasileiros que vivem em terras bolivianas próximas à fronteira.Amorim também se reunirá em La Paz com o ministro das Relações Exteriores e Culto boliviano, David Choquehuanca, assim como com os ministros da Presidência, de Governo, Planejamento, Defesa e Desenvolvimento Rural.Também terá encontros com os presidentes da Câmara e do Senado da Bolívia, segundo a nota do Itamaraty."Amorim examinará com as autoridades bolivianas aspectos da integração sul-americana, tendo em vista o fato de que a Bolívia assumirá a Secretaria da Comunidade Sul-Americana de Nações após a cúpula entre os presidentes dos países da região, em La Paz, neste mesmo ano", acrescenta o comunicado.O Governo brasileiro anunciou esta semana medidas para aumentar sua produção de gás e reduzir a dependência do gás boliviano, entre elas, uma que permitirá a Petrobras aumentar - a partir de 2008 - sua produção diária de gás natural em 24,2 milhões de metros cúbicos, praticamente o mesmo volume atualmente importado da Bolívia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.