Célio de Castro deixa CTI e começa fisioterapia

O prefeito de Belo Horizonte, Célio de Castro (PT), deixou hoje de manhã o Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital Mater Dei, na capital, e foi transferido para uma Unidade de Cuidados Intermediários, 12 dias depois de sofrer um derrame e ser submetido a uma delicada cirurgia no cérebro, para redução da pressão intracraniana.Segundo os médicos, o prefeito está consciente, já venceu o chamado "risco de morte" e respira sem a ajuda de aparelhos, embora a ventilação esteja sendo facilitada por uma traqueostomia (um orifício aberto na parte frontal do pescoço). Eventuais seqüelas neurológicas não foram descartadas e a recuperação do prefeito pode levar, no mínimo, três meses.Além de não estar movimentando o lado direito do corpo, Célio também aparenta problemas de linguagem, apesar de estar enfrentando dificuldades para falar em razão da traqueostomia. O prefeito começou hoje mesmo a fazer fisioterapia para tentar recuperar os movimentos, e nos próximos dias poderá se submeter a sessões de fonoaudiologia. "Ele aparentemente tem distúrbios de linguagem, talvez de compreensão e talvez de expressão, mas não dá para definir devido à traqueostomia, que o impossibilita de se comunicar", disse o neurologista Luís Cláudio Romanelli. Para o clínico Ivan Mello, chefe da equipe, ainda é cedo para se fazer um prognóstico mais preciso sobre a evolução do quadro."Já vi coisas incríveis: pessoas que tiveram pequenos acidentes vasculares cerebrais e apresentaram seqüelas importantes e pessoas que tiveram grandes acidentes vasculares cerebrais e tiveram recuperação de quase 100%", afirmou. "Por isso, esperamos que não ele tenha seqüelas importantes. Mas que elas podem existir, evidentemente que podem", completou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.