CE está atrasado em bolsa-escola e cesta básica

Termina amanhã o prazo dado pela superintendência regional da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para que os municípios cearenses que ainda não cadastraram os flagelados enviem a relação. Caso isso não aconteça, as cestas básicas serão redistribuídas para outras cidades, por ordem do ministro do Desenvolvimento Agrário, Raul Jungmann. O prazo inicial encerrou-se quinta-feira da semana passada. Até aquela data, o Ceará era o Estado do Nordeste que menos distribuiu as cestas doadas pelo Governo Federal. Foram entregues 133.766 cestas (76,88%) das 173.983 programadas. Treze municípios não conseguiram cumprir as exigências legais, dentre as quais, o cadastramento das Comissões Municipais de Alimentação. Os Estados de Alagoas, Pernambuco, Sergipe e Minas Gerais foram os únicos a atingirem 100%. O presidente da Associação dos Prefeitos do Ceará, Cirilo Pimenta, informou que hoje duas cidades cearenses ainda estavam fazendo o levantamento: Quixelô e Antonina do Norte. Ele acredita que o trabalho será concluído a tempo. Pimenta disse que o atraso não deverá se repetir na segunda remessa das cestas. "O trabalho maior foi com o cadastro", explica. Segundo ele, os flagelados beneficiados na segunda fase serão os mesmos da primeira. Muitos, aliás, deverão receber as duas cestas ao mesmo tempo.Bolsa-escolaO ministro da Educação, Paulo Renato de Sousa, lança amanhã em Russas, a 162 km de Fortaleza, o Programa Bolsa-Escola. De acordo com levantamento do MEC, O Ceará é um dos Estados onde o programa está mais atrasado. Dos 133 municípios inscritos, apenas 62 (47%) estão aptos a receber o benefício de R$ 15,00 por estudante regularmente matriculado na escola pública. Em agosto, 82 agentes mobilizadores estarão no Estado para apressar o cadastramento das prefeituras junto ao programa. Esses agentes mobilizadores são alunos dos centros federais de educação tecnológica das escolas técnicas e das escolas agrotécnicas do Norte e do Nordeste de Minas Gerais, além de técnicos da Secretaria do Programa Nacional Bolsa-Escola. Serão 1.031 agentes assim distribuídos: Alagoas (33); Bahia (240); Ceará (82); Minas Gerais (135); Paraíba (162); Pernambuco (116), Piauí (104); Rio Grande do Norte (131); e Sergipe (28). Quarenta coordenadores ficarão responsáveis pelas equipes nos Estados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.