André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

CCJ retoma sessão que discute segunda denúncia apresentada contra Temer

Reunião havia sido suspensa por volta das 18h; para acelerar, deputados governistas abriram mão de se manifestar

Isadora Peron e Daiene Cardoso, O Estado de S.Paulo

17 de outubro de 2017 | 19h54

BRASÍLIA - O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), retomou há pouco a sessão de debates sobre a segunda denúncia apresentada contra o presidente Michel Temer.

A reunião do colegiado havia sido suspensa por volta das 18h, quando começou a ordem do dia  no plenário destinada a votar a urgência do projeto de lei que trata da leniência de instituições financeiras com o Banco Central e a Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Líder do PSD na Câmara diz que vai trocar titular do partido na CCJ 

Ainda faltam 26 parlamentares para discursar na sessão da CCJ, mas outros deputados ainda podem se inscrever. A sessão foi retomada com a fala do deputado Henrique Fontana (PT-RS). Até o momento 31 deputados falaram. Há a possibilidade de a sessão se estender até a madrugada.

Para acelerar o andamento dos trabalhos, deputados da base governista abriram mão de se manifestar. O Palácio do Planalto trabalha para que o parecer do tucano Bonifácio de Andrada (MG) seja votado ainda nesta quarta.

Mais cedo, Pacheco pediu mais três sessões de prazo para concluir a apreciação da denúncia na CCJ, uma vez que o prazo regimental de cinco sessões se esgotou hoje. Segundo ele, o pedido foi um “excesso de zelo” para garantir o funcionamento da comissão. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.