CCJ aprova quebra de sigilo de envolvidos no caso dos TDAs

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou hoje, em votação simbólica, requerimento a ser encaminhado ao Banco Central para que quebre o sigilo bancário de três acusados de envolvimento com o atual presidente do Senado, Jader Barbalho, em suposta negociação irregular de Títulos da Dívida Agrária (TDAs) no valor de R$ 4 milhões. São eles o empresário e ex-banqueiro Serafim Rodrigues de Moraes, a mulher dele, Vera Arantes Campos, e o empresário Vicente Pedrosa da Silva. O texto aprovado requer do BC a quebra do sigilo dos três nos períodos correspondentes ao segundo semestre de 1988 e primeiro semestre de 1989. A votação do requerimento na CCJ na sessão de hoje havia sido decidida pelo consenso dos líderes de todos os partidos, mas, ao final do dia de ontem, a sessão foi adiada. Hoje, no entanto, após a sabatina a que foi submetido o procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro (indicado pelo presidente Fernando Henrique Cardoso para um novo mandato no comando do Ministério Público), o líder interino do governo, senador Romero Jucá (PSDB-RR), pediu que a CCJ apreciasse a matéria imediatamente. Após a aprovação do requerimento, Jucá explicou à Agência Estado o motivo da pressa: "O Senado, o governo e o próprio Jader Barbalho já explicitaram que querem ver essa questão esclarecida de uma vez por todas. O Senado não pode mais conviver com um clima nebuloso de desconfiança".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.