CCJ aprova parecer que favorece o Rio

A proposta de reforma tributária passou pela primeira etapa de votação hoje na Câmara com a manutenção do ponto mais polêmico incluído pelo relator, deputado Leonardo Picciani (PMDB-RJ), no seu parecer: a destinação de 2% da arrecadação do novo ICMS para os Estados produtores de petróleo e de energia elétrica, o que beneficia diretamente o Rio de Janeiro.O projeto original do governo excluía esses dois produtos da cobrança do ICMS na origem, como é atualmente. Pesou no resultado a posição da bancada do PMDB, dos deputados do Rio e do Rio Grande do Norte, que também têm interesse direto, e dos deputados do DEM, que deram vários votos favoráveis. O PT ficou contra a proposta de Picciani. As informações são do O Estado de S. Paulo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.