CCJ aprova indicação de novo ministro para o STF

O nome de Carlos Direito deverá ser apreciado ainda nesta quarta-feira pelo plenário do Senado

Eugênia Lopes, do Estadão

29 de agosto de 2007 | 14h27

A Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ) aprovou nesta quarta-feira,29, em votação secreta, o nome de Carlos Alberto Direito para o cargo de ministro do Supremo Tribunal federal (STF). Foram 22 votos a favor e um em branco.   O nome de Direito foi indicado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele vai substituir Sepúlveda Pertence, que se aposentou na semana passada.   Nas três horas e meia de sabatina na Comissão, Direito foi extremamente político ao responder sobre a utilização de células-tronco e sobre o aborto. "Acho que a vida deve ser preservada em qualquer circunstância, mas não se pode coibir que a ciência avance", observou Direito, que é católico praticante.   Na sabatina ele também se emocionou por diversas vezes chegando a chorar quando foi indagado sobre um processo em que seu filho teria atuado como estagiário, em uma causa analisada Direito, no Superior Tribunal de Justiça.    "Foi apenas um incidente processual. Foi feita a anulação do processo. Isso ocorreu há 11 anos, quando meu filho era estagiário. Hoje ele é juiz, com muita honra e dignidade", disse Direito, com voz embargada.   Ao final da sabatina ele voltou a se emocionar ao lembrar que "os novos cargos passam, as honras passam e o que ficam são os filhos; e os meus filhos são minha honra e alegria".   O nome de Direito deverá ser apreciado ainda nesta quarta-feira pelo plenário do Senado, também em votação secreta.      

Tudo o que sabemos sobre:
STFministro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.