CCJ aprova Barroso para ser ministro do STF com 26 votos favoráveis

Decisão segue agora para plenário, que deve apreciar ainda nesta quarta-feira a indicação

Ricardo Brito, Agência Estado

05 Junho 2013 | 18h09

BRASÍLIA - A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira, 5, a indicação do advogado Luís Roberto Barroso para o cargo de ministro de Supremo Tribunal Federal (STF). Após uma sabatina que durou mais de sete horas, Barroso teve seu nome aprovado, em votação secreta, por 26 votos favoráveis e 1 contrário.

A indicação do advogado seguirá agora para o plenário do Senado, que aguardava apenas a aprovação na CCJ parar abrir a ordem do dia de votação. O presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse que pretendia votar o mais rápido possível em plenário o nome do 11º ministro do STF. Dessa forma, o plenário deve apreciar ainda nesta quarta-feira a indicação.

Ao final da sua última exposição, Barroso, com a voz embargada, disse que é preciso ter "coragem" para fazer o que tiver que ser feito. "Espero ter a sabedoria de identificar onde está o bem no caso concreto, que às vezes é difícil, e coragem parar fazer o que deve ser feito", disse. O advogado foi aplaudido pelo plenário da CCJ.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.