CBNN apóia demarcação de área indígena em Roraima

O presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), cardeal Geraldo Majella Agnelo, e o vice-presidente, Antonio Celso de Queiroz, divulgaram hoje em Boa Vista (RR) mensagem de solidariedade ao bispo de Roraima, Apparecido José Dias, em razão das "recentes violências cometidas contra os missionários" católicos na região da área indígena Raposa Serra do Sol. Em nome de todos os bispos do Brasil, os dois dirigentes da CNBB expressam solidariedade também aos 15.000 índios da área e reiteram seu apoio à concretização da reserva indígena local, contestada por fazendeiros e agricultores que se sentem prejudicados. Os bispos consideram a homologação da reserva "a aspiração e o direito mais importantes dos povos indígenas do Estado de Roraima". Afirmam que os missionários da igreja católica na região "sofreram e estão sofrendo violências, calúnias e ameaças" por se colocarem "decididamente ao lado dos povos indígenas em suas lutas pelos direitos constitucionais". Condenam "a afronta e a agressão aos missionários, seqüestrados e ameaçados" recentemente na Missão Surumu, que teve suas dependências depredadas por adversários da homologação da reserva. "Não podíamos deixar de manifestar nossa preocupação e diante das recentes violências cometidas contra os missionários, a Igreja local e os povos indígenas e nossa desaprovação aos atos de ódio e ganância; ao mesmo tempo, apelamos para que esses crimes sejam julgados, e os culpados sejam punidos", diz a mensagem dos dirigentes da CNBB.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.