CBIC diz que manutenção do Minha Casa tranquiliza setor

A reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) traz fatores positivos para os empresários do setor da construção, como a garantia de continuidade do Minha Casa, Minha Vida, segundo avaliação de José Carlos Martins, presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC).

CIRCE BONATELLI, Estadão Conteúdo

27 de outubro de 2014 | 16h50

"É um governo que já sabemos como lidar e o que esperar. E temos mais clareza sobre a continuidade de programas como o Minha Casa, Minha Vida, um fator que nos tranquiliza", disse, em entrevista ao Broadcast.

Martins elogiou o tom de conciliação no discurso feito no domingo por Dilma e sua afirmação de que está aberta ao diálogo. "Soou como violino a proposta de diálogo", afirmou o presidente da CBIC. Ele também destacou a sinalização de Dilma de preocupação com a economia e sua inclinação a fazer ajustes. "Isso vai ao encontro com as expectativas do mercado".

Por conta disso, Martins disse acreditar numa retomada rápida da confiança dos empresários do setor da construção, que se deteriorou ao longo do ano em meio ao baixo crescimento da economia brasileira.

Para os próximos meses, Martins disse também esperar maior agilidade na implementação de concessões e parcerias público-privadas (PPPs) no setor de infraestrutura. Ele lembrou que os investimentos nessa área até 2017 estão previstos em R$ 400 bilhões. "Precisa da canetada para mandar tocar tudo isso, mas isso deve acontecer mais rapidamente daqui em diante", afirmou, referindo-se aos ganhos de experiência pela presidente reeleita.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesCBIC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.