Casseb diz a Suplicy que pressões teriam Palocci como alvo

O presidente do Banco do Brasil, Cássio Casseb, fez hoje um desabafo ao senador Eduardo Suplicy (PT-SP): as pressões sobre ele teriam como principal alvo atingir o ministro da Fazenda, Antônio Palocci. Ele disse que já tinha prestado esclarecimentos à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Banestado sobre sua movimentação financeira e nem por isso a situação teria se acalmado. "Por que agora resolveram mexer com os dois presidentes?",questionou Casseb, numa alusão à pressão da oposição sobre o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles. Suplicy, que desde a publicação das denúncias, vem atuando como principal articulador em favor do comparecimento de Meirelles e Casseb ao Senado, disse que tentou tranqüilizar Casseb. "Eu procurei mostrar que ele será tratado com respeito", observou. Como prova de que considera natural que um parlamentar fiscalize as ações do Executivo, Suplicy avisou a Casseb que, na próxima semana, serão votados requerimentos pedindo o seu comparecimento à Comissão de Fiscalização e Controle (CFC) e que ele será coerente. "Vou votar favoravelmente aos pedidos", informou o senador ao presidente do Banco do Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.