Cassado, Jackson Lago registra candidataura no MA e diz ter ficha limpa

Ex-governador perdeu mandato por decisão do TSE; MPE ainda não se manifestou sobre impugnação

Wilson Lima, da Agência Estado / SÃO LUÍS,

05 Julho 2010 | 17h56

Cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em abril do ano passado por abuso de poder político, o ex-governador do Maranhão, Jackson Lago (PDT), deu entrada na manhã desta segunda-feira, 5, no pedido de registro de sua candidatura no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob a ameaça de ser alvo de processo de impugnação movido pelo Ministério Público Eleitoral do Estado.

O Ministério Público Eleitoral (MPE) do Maranhão ainda não havia se manifestado oficialmente sobre o pedido de impugnação da candidatura do pedetista. Lago reconheceu o risco de não disputar as eleições desse ano em função da Lei da Ficha Limpa. "Eu tenho a vida, as mãos e a consciência tranquila. Mas quem luta contra essas estruturas viciadas tudo pode acontecer", disse Lago após ser questionado sobre a possibilidade de ser alvo de uma ação do MPE.

Durante o registro de sua candidatura, Lago afirmou que "ninguém na vida pública do Maranhão tem a vida e a ficha mais limpa" do que ele. O ex-governador criticou mais uma vez a decisão do TSE que o tirou do poder e insinuou novamente uma intervenção da família Sarney nesse processo. "Se as estruturas dominantes do Estado que convivem com as instituições nacionais não aceitam a vontade do povo do Maranhão, isso aí é outra questão".

A partir do pedido de registro das candidaturas, o TRE vai lançar na quarta-feira o edital com a relação de todos que solicitaram pedido de registro de candidatura. A partir desse edital, abre-se um prazo de cinco dias para pedidos de impugnação de candidaturas.

 

Interlocutores do ex-governador já trabalham com a possibilidade de terem que ingressar com medidas liminares para garantir a participação do ex-governador nas eleições deste ano. Representantes dos dois maiores adversários de Lago, Flávio Dino (PCdoB) e Roseana Sarney (PMDB), dizem que não ingressarão com pedido de impugnação contra Lago. Já os candidatos do PSTU (Marcos Silva), PCB (Marcos Igreja) e PSOL (Saulo Arcangelli) estudam a possibilidade de impetrar representações contra o pedetista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.