Caso Varig: governo escala Gilberto Carvalho para defesa

O caso Varig tem um depoimento chave agendado para esta semana, quando podem ficar mais claras as relações do advogado Roberto Teixeira com o Planalto e o quanto ele foi decisivo na autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para a compra da VarigLog e da Varig e, depois, a venda da Varig para a Gol. Está marcado para quarta-feira, na Comissão de Infra-Estrutura do Senado, o depoimento do empresário Marco Antônio Audi. O chefe de gabinete da Presidência, Gilberto Carvalho, foi destacado pelo Planalto para se dedicar quase exclusivamente à tarefa de ajudar o governo a se defender das denúncias da ex-diretora da Anac Denise Abreu.Segundo Audi, ?a influência de Roberto Teixeira foi 100% decisiva? para que ele, em sociedade com mais dois empresários brasileiros - Marcos Haftel e Luiz Gallo - e o fundo de investimentos norte-americano Matlin Patterson, comprasse a VarigLog e a Varig.Gilberto Carvalho disse que o Planalto não vai interferir na relação entre Teixeira, amigo e compadre do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e Marco Antônio Audi. ?A nossa regra é muito clara: parente e amigo, aqui, passam por uma peneira de fio duplo'', afirmou. Carvalho contou que Teixeira telefonou para ele, na segunda-feira, do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo - onde foi internado para uma angioplastia -, e ofereceu informações sobre a venda da Varig para rebater as acusações de Denise e Audi. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.