Caso Renan: relatores não apresentarão texto com voto secreto

Dois dos três relatores do caso RenanCalheiros (PMDB-AL) no Conselho de Ética decidiram apresentarseu parecer final do processo por quebra de decoro dopresidente do Senado apenas se a votação do conselho foraberta. A sessão está prevista para esta quinta-feira. "São dois meses de relatório para que ele seja conclusivo.Se não for aberto, não temos condição de votar amanhã(quinta-feira)", disse o senador Renato Casagrande (PSB-ES), umdos relatores. Suas opiniões são compartilhadas pela relatoraMarisa Serrano (PSDB-MS). Aliados de Renan ponderam, baseando-se em análises feitaspor funcionários do Senado, que o parecer no caso de votaçãosecreta não pode ser conclusivo. Deveria ser apenas indicativo. Casagrande disse que a maioria dos 15 membros do conselho éfavorável ao voto aberto. Se não houver consenso sobre o tema,a solução poderá ser por uma consulta aos próprios senadores docolegiado.Se a decisão for pelo voto secreto, o Senado vai protagonizarmais capítulos de uma disputa que já dura três meses. O terceiro relator, senador Almeida Lima (PMDB-SE), jáadiantou que votará pela absolvição de Renan. Aumentando a temperatura do caso, Marco Santi,secretário-adjunto da Mesa do Senado, entregou o cargo nestaquarta-feira alegando não conseguir aguentar mais a pressão quesofria para manipular o processo de acusação de quebra dedecoro para beneficiar Renan. Segundo Casagrande, este fato não entrará oficialmente noprocesso, mas servirá para formar a convicção dos senadoressobre o caso. Santi presta depoimento nesta tarde ao corregedorRomeu Tuma (DEM-SP). (Por Natuza Nery)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.