Caso Renan: relator sinaliza pelo arquivamento de ação

O relator da representação contra o Renan Calheiros (PMDB-AL), senador João Pedro (PT-AM), por suposto favorecimento do presidente do Senado à cervejaria Schincariol, deu indícios claros de que vai mandar arquivá-la. João Pedro afirma que "há uma manifestação política de que esta matéria (denúncia) não tem sustentação". Hoje, Calheiros rebateu a denúncia de favorecimento na defesa escrita que encaminhou ao Conselho de Ética.Ao contrário do que fez na primeira denúncia, quando se antecipou ao prazo final para se defender por escrito, o advogado de Calheiros, Eduardo Ferrão, deixou para rebater as acusações sobre as suposta ligações do senador com a empresa no final do período de tempo estipulados pelo regimento. Segundo reportagem da revista Veja, Renan teria atuado politicamente em favor da empresa para reduzir multas impostas à cervejaria no INSS e na Receita Federal. Em troca, a Schincariol pagou R$ 27 milhões pela fábrica de refrigerante pertencente a seu irmão, deputado Olavo Calheiros (PMDB-AL), que estava em situação deficitária. O relator sinaliza ainda pelo arquivamento da representação quando diz que a sua decisão não se encaixa nas expectativas da opinião pública. "A opinião pública trabalha a partir da mídia. Mas existe um rito técnico de que nós precisamos assumir nossa responsabilidade", alega. João Pedro disse esperar que seu parecer seja examinado assim que o Conselho se desocupar da denúncia de que Calheiros teria contas pessoais pagas pelo lobista da empreiteira Mendes Júnior. O parecer pela cassação será votado amanhã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.