Caso Renan: partidos querem solução até dia 2

Os líderes de cinco partidos no Senado decidiram hoje obstruir totalmente os trabalhos do Senado se o Conselho de Ética não apresentar até 2 de novembro uma solução para todos os processos de quebra de decoro parlamentar contra o presidente da casa, Renan Calheiros (PMDB-AL). O prazo foi fechado em reunião que teve a participação de líderes do PSDB, DEM, PSB, PT, PDT e PMDB. "A condição de Renan presidir o Senado hoje é nenhuma", afirmou o líder do DEM, José Agripino (RN). "Ele não tem condições nenhuma de presidir o Senado", repetiu Senador Renato Casagrande (PSB-ES). No encontro, os senadores concluíram que a permanência de Renan é insustentável e que eles irão se revezar na tribuna em pronunciamentos para pedir seu afastamento da presidência.Depois do discurso que o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) fará ainda hoje em plenário, o PSDB e o DEM entregarão nova representação na mesa do Senado contra Renan Calheiros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.