Caso PC Farias deu projeção a delegado

Ex-bancário e especialista no combate a crimes financeiros, o delegado Paulo Lacerda ganhou projeção nacional na década de 90 ao comandar as investigações contra o empresário Paulo César Farias, o PC, que alimentaram o processo de impeachment do ex-presidente Fernando Collor. Com 63 anos, sendo quase 40 de atuação na Polícia Federal, Lacerda dirigiu o órgão entre janeiro de 2003 e setembro de 2007. Sob sua gestão, a PF se modernizou, renovou quadros e deixou de ser exclusivamente uma polícia "chuta-portas", como ele gostava de enfatizar.Lacerda investiu em inteligência, aparelhou o sucateado Instituto Nacional de Criminalística (INC) e qualificou a produção de provas. Mas sua marca registrada foi ter introduzido na casa a era das megaoperações de combate à corrupção. Foram mais de 470 delas, com cerca de 7,5 mil prisões, ao longo dos quatro anos e meio em que Lacerda ficou à frente da PF. Rusgas entre o delegado e o banqueiro Daniel Dantas datavam da Operação Chacal, que investigou em 2004 denúncias de espionagem ilegal e sabotagem na disputa pelo controle da companhia telefônica Brasil Telecom. Pouco depois, um dossiê atribuído a Dantas acusou Lacerda de ter contas no exterior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.