Caso do e-mail pornográfico da GM chega à delegacia do trabalho

A Delegacia Regional do Trabalho (DRT) de São Paulo marcou para segunda-feira audiência entre representantes da General Motors e da Força Sindical para discutir a demissão de funcionários que usaram o correio eletrônico da empresa para enviar mensagens pornográficas. A audiência, marcada para às 16 horas, foi solicitada pela própria central, que representa o Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano. Na terça-feira, a GM demitiu 33 funcionários e advertiu outros 111 por uso indevido da internet, como recebimento, envio e retenção de e-mails obscenos.Um deles foi parar no computador de uma funcionária da matriz, nos Estados Unidos, e desencadeou um processo de auditoria em que foram descobertos vários casos de pessoas envolvidas na troca de fotos e textos pornográficos. Um dia depois, a empresa voltou atrás em alguns casos mas manteve 17 cortes. Ontem, um funcionário teria obtido na Justiça uma ordem para voltar ao trabalho, segundo informou o representante de Cipa, Turíbio Liberato. O sindicato tem conhecimento de 13 a 16 demissões. A GM suspendeu ontem os contratos temporários de 105 funcionários de São Caetano e de 80 de São José.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.