Caso da Petrobras ameaça o boom do Brasil, diz Financial Times

Nas palavras do presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli, esta é a "maior crise da história da Petrobras"

Daniela Milanese, da Agência Estado,

22 de julho de 2009 | 16h19

O caso da Petrobras ameaça o boom do Brasil, afirma nesta quarta-feira, 22, o Financial Times. Segundo o jornal britânico, a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) vem no momento em que a empresa está alavancando o desenvolvimento dos vastos campos em águas profundas no País. Nas palavras do presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli, esta é a "maior crise da história da Petrobras", reproduz o FT. "O inquérito, cujos interrogatórios começam no próximo mês, coloca em risco os esforços do governo para definir a ansiosamente aguardada nova regulação (do setor)", diz o jornal.

 

Veja Também:

especial ESPECIAL: O que será apurado na CPI da Petrobras

lista O ESTADO DE S. PAULO: Fundação de Sarney dá verba da Petrobras a empresas fantasmas

link Assim como a estatal, CPI da Petrobras também conta com blog

link Base aliada assume comando e adia para agosto CPI da Petrobras

 

Conforme o FT, a área do pré-sal é uma das poucas no mundo a conter grandes e ainda não exploradas reservas de petróleo, o que pode posicionar o Brasil na ponta de um forte crescimento no setor. Nos próximos cinco anos, a Petrobras planeja investir US$ 28,9 bilhões nos campos em águas profundas. "O inquérito vem em um momento ruim."

 

O jornal lembra que as acusações contra a empresa incluem fraudes em licitações, irregularidades em contratos, superfaturamento na construção da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, desvio de royalties e uma disputa fiscal de R$ 4,3 bilhões. A empresa nega as acusações. "A companhia está começando o desenvolvimento de campos tecnicamente complexos no pré-sal, mas a preparação de sua defesa já está desviando atenção das fontes administrativas", afirmou ao FT Gareth Chetwynd, da revista especializada Upstream.

 

Para David Fleischer, professor de ciência política da Universidade de Brasília, este é o maior desafio já enfrentado pela Petrobras. Ele acredita que a empresa não será destruída, mas pode ficar manchada. "Você não quer sua imagem borrada se está atrás de bilhões e bilhões de dólares para investir", disse ao jornal.

Tudo o que sabemos sobre:
Financial TimesCPI da Petrobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.