Caso chega à reta final e Renan aposta em absolvição no plenário

A investigação sobre o caso RenanCalheiros (PMDB-AL) se aproxima da reta final e deve ir avotação no Conselho de Ética na próxima semana. Renan prestou depoimento aos relatores e ao presidente doConselho de Ética nesta quinta-feira e disse que confia nosvotos do plenário para ser absolvido da acusação de quebra dedecoro. O Conselho de Ética investiga se o senador pagou pensão àfilha que teve com a jornalista Mônica Veloso com recursospróprios, como alega, ou se a despesa foi assumida por umlobista da construtora Mendes Júnior Após três meses de apuração, foi encerrada a fase deperícias, depoimentos e diligências. Os três relatores vãotentar fazer um texto único na terça-feira, o que é consideradopouco provável, e a decisão final deve ser tomada por votosecreto no Conselho de Ética. "Diante das verdades que foram apuradas, isso vaiprevalecer no plenário. Eu confio na isenção dos senadores esenadoras", afirmou Renan após o depoimento. O senador contou que não fez uma defesa perante osrelatores e apenas apresentou sua versão sobre a perícia feitapela Polícia Federal nos documentos contábeis que entregou aoConselho de Ética como prova de seus rendimentos. Renan alegouque as falhas apontadas em alguns dos documentos decorrem deuma desorganização inerente à atividade rural. "Terça-feira vamos nos sentar para ver se nossos relatóriossão compatíveis ou não", afirmou o senador Renato Casagrande(PSB-ES), um dos relatores, a jornalistas. Casagrande admitiu ainda ter dúvidas sobre a defesa deRenan. Ele e a relatora Marisa Serrano (PSDB-MS) devem produzirum relatório comum. O senador Almeida Lima (PMDB-SE), aliado deRenan, já revelou o teor do seu parecer pela absolvição dosenador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.