Casagrande pede encerramento das contas paralelas

Ao apresentar denúncia sobre a existência de duas contas - uma corrente e outra de poupança - na Caixa Econômica Federal em nome do Senado no valor de R$ 3,74 milhões, o senador Renato Casagrande (PSB-ES) pediu que todos os recursos ali depositados sejam recolhidos à conta única do Tesouro Nacional. O senador informou também que encaminhou requerimento ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), pedindo o encerramento das contas paralelas, além da emissão dos extratos dos últimos cinco anos.

EUGÊNIA LOPES, Agencia Estado

24 de junho de 2009 | 17h34

Casagrande disse que, por enquanto, não há suspeição sobre as contas que, conforme seu relato, registravam apenas depósitos. Ele apresentou a suposição de que as contas pudessem funcionar para receber pagamentos de vendas de obras do Senado pelo sistema de reembolso. Ele defendeu ainda a exclusão da possibilidade de manutenção de recursos próprios do Senado fora da conta única do Tesouro Nacional. Para ele, o futuro regulamento administrativo do Senado deve impedir essa possibilidade.

Diante da denúncia de Casagrande, o presidente do Senado já determinou a abertura de comissão de sindicância para investigar a existência das duas contas. As investigações ficarão a cargo da Secretaria de Controle Interno e a comissão de sindicância terá sete dias, a partir da data de publicação do ofício, para concluir os trabalhos. A comissão deverá apurar quem abriu as contas, qual a movimentação que foi feita e por quem esses recursos foram movimentados.

Tudo o que sabemos sobre:
Senadocontas paralelasCasagrande

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.