Casagrande acha 'difícil' manter vetos aos royalties

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, disse que três Estados esperam que seja preservado o veto da presidente Dilma Roussef ao esquema de distribuição dos royalties do petróleo, que garante a distribuição desses recursos às 27 unidades da Federação. Nesta terça-feira, o Congresso decide se derruba os vetos de Dilma a partes da lei que distribui os royalties.

RENATO MARTINS, Agência Estado

04 de março de 2013 | 20h26

"Somente o Rio e o Espírito Santo são contra a derrubada dos vetos, e esses dois sozinhos não têm como evitar que ela aconteça", disse um assessor parlamentar de um partido da bancada governista. A ênfase da lei de royalties, de acordo com o governo, deveria ser nos recursos obtidos com o petróleo dos campos que ainda não entraram em produção.

"Sei que será difícil, porque a maioria dos Estados quer votar", afirmou Casagrande. Ele disse ter conversado sobre isso com os governadores do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e de São Paulo, Geraldo Alckmin. Segundo o governador capixaba, as bancadas dos três Estados usarão manobras obstrucionistas para tentar impedir ou adiar a votação. "Se a votação acontecer e o veto for derrubado, o Espírito Santo vai recorrer ao Supremo", acrescentou. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
royalties

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.