Carvalho diz ter cometido equívoco sobre Cardozo

O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, divulgou nota oficial nesta quarta-feira (5) dizendo que "cometeu um equívoco" ao dizer que, em reunião com indígenas da etnia Munduruku, a presidenta Dilma Rousseff havia censurado o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, por ter cumprido ordem judicial de primeira instância em processo de reintegração de posse ocorrida em Mato Grosso do Sul.

TÂNIA MONTEIRO, Agência Estado

05 Junho 2013 | 11h25

Segundo Gilberto, a expressão usada tinha por objetivo demonstrar a dor da presidente com a morte do indígena e que, em nenhum momento, a presidente fez críticas a Cardozo pela Polícia Federal ter cumprido a ordem judicial. O ministro acrescentou ainda que a insistência da presidente Dilma é para que se negocie e se dialogue para que os conflitos sejam resolvidos.

Mais conteúdo sobre:
CardozoíndiosGilberto Carvalho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.