Carvalho diz que não condenou apuração sobre Rainha

O ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, divulgou nota na tarde de hoje afirmando que em nenhum momento condenou o processo de investigação que levou à prisão do líder sem-terra, José Rainha Júnior, e outros militantes de movimentos pela reforma agrária. Eles são acusados de desvio de dinheiro público do programa.

ROSANA DE CASSIA, Agência Estado

17 de junho de 2011 | 14h53

Carvalho reafirmou o conteúdo de suas declarações, de ontem, de que as prisões e os fatos que as levaram são negativos para o processo de reforma agrária. "Inversamente, são positivas para a Reforma Agrária notícias de avanços e resultados profícuos de cooperativas de trabalhadores rurais assentados em diferentes Estados do Brasil", observou o ministro, em resposta a alguns colunistas que, segundo Carvalho, "preferiram divulgar interpretações imputando a mim desejos e intenções que não correspondem à verdade".

"Em nenhum momento pretendi imiscuir-me no processo de investigação que levou às prisões, certamente conduzido na forma da lei, a mesma lei que assegura aos acusados o direito de defesa e os preserva de condenações açodadas, antes do devido processo legal", acrescentou Carvalho.

Tudo o que sabemos sobre:
prisãoRainhaCarvalhoreforma agrária

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.