Carvalho defende 'sola de sapato' para todos na campanha de Haddad

Ministro comentou declarações da senadora Marta Suplicy de que caberia ao pré-candidato buscar visibilidade ante ao eleitorado paulistano

Rafael Moraes Moura, de O Estado de S.Paulo

04 de abril de 2012 | 12h30

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, comentou nesta quarta-feira, 4, as declarações da senadora Marta Suplicy (PT-SP) sobre a campanha do pré-candidato à prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad. "Todos nós temos de usar a sola do sapato", disse Carvalho ao ser questionado sobre a afirmação da senadora.

 

Em entrevista ao Estado na semana passada, a senadora Marta Suplicy (PT-SP) mandou Haddad "gastar sola de sapato". "Além disso, as alianças farão diferença. O restante é conhecer os problemas da cidade e conquistar a militância. Ninguém pode substituir e nem fazer isso pelo candidato", afirmou a senadora, que acabou preterida na disputa.

 

A fala de Marta provocou desgaste dentro do PT, que pressiona a senadora a socorrer Haddad o quanto antes. O ex-ministro da Educação aparece em pesquisas com apenas 3% das intenções de voto.

 

As afirmações de Carvalho foram feitas após participar de reunião do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea) no Palácio do Planalto. Questionado sobre a possibilidade de a chapa de Haddad repetir a base aliada que dá apoio ao governo Dilma, o ministro respondeu: "Evidente que é (fundamental), em qualquer campanha, ter a base aliada unida e trabalhando junto".

 

O ministro não soube dizer quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, padrinho da campanha de Haddad, deve entrar na disputa. "Não dá pra se fixar uma data. (Lula) já tem ajudado muito com os telefonemas e tal, tem conversado, mas ele prometeu ter muito cuidado e juízo porque percebeu o quanto a saúde é importante", disse Gilberto.

 

Na avaliação de Gilberto Carvalho, Lula está em "uma lenta recuperação" que exige "prudência". "Agora já faz uns dias que não estive com ele (Lula), mas de tudo que sei, está numa lenta recuperação que exige prudência, fonoaudiologia, fisioterapia, enfim, ele tem várias questões que está tratando, está se cuidando, sempre muito ativo, mas está num processo crescente de recuperação", comentou o ministro.

 

Questionado se José Dirceu estaria ajudando na campanha de Haddad, Gilberto Carvalho respondeu que não tem "essa informação".

Tudo o que sabemos sobre:
martahaddadeleições 2012

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.