Carvalho admite que situação de Palocci é delicada

Sem especificar data, secretário-geral da Presidência afirmou que em breve o ministro dará explicações públicas sobreaumento de seu patrimônio

Tânia Monteiro, da Agência Estado

02 de junho de 2011 | 14h41

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, admitiu que a situação do ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, é delicada. No entanto, ele disse que Palocci continua firme no governo. Sem especificar uma data, Carvalho afirmou que em breve o ministro-chefe da Casa Civil dará explicações públicas sobre o aumento de seu patrimônio. 

 

Veja também:

linkLíderes petistas contrariam Lula e já discutem nome para substituir Palocci

"Muito em breve ele vai dar explicações. Está tudo acertado. Ele vai falar", afirmou. "Eu não posso dizer que é hoje porque não deve ser hoje, mas será muito brevemente. Ele está escolhendo a forma", acrescentou, ao ser questionado se Palocci falaria no Congresso. Segundo Carvalho, a presidente Dilma Rousseff pediu a Palocci para que o ministro-chefe da Casa Civil se manifestasse a respeito das dúvidas que pairam sobre a evolução patrimonial dele. "Ela falou com ele que era importante que ele falasse. Isso foi o que ela falou. Ele está esperando o momento adequado", disse.

Para Carvalho, o evento de lançamento hoje do programa Brasil Sem Miséria só mostra que o governo não parou com a crise provocada pelas denúncias contra Palocci, e que projetos como esse e outros vão continuar. "A crise, para nós, tem um peso, uma importância. Mas ela é muito relativa. Para nós, o importante é o que está acontecendo. É este ato (de lançamento do programa) que aconteceu agora. Este ato é prova de que a ordem da presidente é que a gente continue trabalhando. As crises são importantes. A gente enfrenta com maturidade. Muitas vezes com dificuldade. Mas nós não perdemos o nosso norte. Estamos ao lado dele (Palocci)", concluiu Carvalho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.