Cartaxo anuncia 2 novos subsecretários e 3 superintendentes

Ainda faltam vagas para serem preenchidas pelo secretário da Receita, que disse não haver ingerência no órgão

Adriana Fernandes e Renata Veríssimo, O Estado de S. Paulo

25 de agosto de 2009 | 19h51

O secretário da Receita Federal, Otacílio Cartaxo, anunciou os nomes de dois novos subsecretários e de três superintendentes do órgão para formar a nova equipe, após os 12 pedidos de demissão e duas exonerações. Mas ainda há vagas em aberto.

 

Para o lugar de Odilon Neves na Subsecretaria de Gestão Corporativa da Receita foi escolhido José Schettino Peixoto.

 

Cartaxo confirmou no cargo o subsecretário de Tributação e Contencioso, Sandro de Vargas Serpa, que já ocupava o posto interinamente.

 

Para as superintendências, o secretário anunciou os nomes de José Guilherme Antunes de Vasconcellos para a 8ª Região Fiscal, de São Paulo, a maior do País; de Paulo Renato Silva da Paz para 10ª Região Fiscal (Rio Grande do Sul); de Hermano Lemos de Avellar Machado para a 6ª Região (Minas Gerais). São as três regiões onde os antigos superintendentes eram os mais atuantes no movimento de protesto contra a demissão de Lina Maria Vieira do cargo de Secretaria da Receita Federal.

 

A superintendência da 4ª Região Fiscal, que compreende Pernambuco, Rio Granade do Norte, Paraíba e Alagoas, foi assumida interinamente por Maria da Conceição Arnaldo Jacó. Dessa região é originária Lina Vieira, que ali ainda tem influência.

 

Ficou pendente a confirmação do nome de Luís Gonzaga Medeiros Nóbrega para a Superintendência da 3ª Região Fiscal (Ceará,Piauí e Maranhão). Otacílio Cartaxo informou que conversou com Medeiros Nóbrega e que este, depois de ter assinado a carta de servidores pedindo demissão, afirmou que tinha dúvidas em relação ao texto. Cartaxo disse que Nóbrega ficou da responde amanhã se fica ou não no cargo.

 

O secretário confirmou nos cargos os atuais superintendentes da 1ª Região Fiscal (Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Tocantins), José Oleskovicz; da 2ª Região (Pará, Amazonas, Acre, Amapá, Roraima e Rondônia), Esdras Esnarriaga Júnior; da 5ª Região (Bahia e Sergipe), Zayda Bastos Manatta; da 7ª Região (Rio de Janeiro e Espírito Santo), Eliana Polo Pereira; e da 9ª Região (Paraná e Santa Catarina), Luiz Bernardi.

 

Cartaxo afirmou ainda, na entrevista, referindo-se às mudanças na equipe, que "não há ingerência política de qualquer natureza para proteger grandes contribuintes". O secretário assegurou que o foco na fiscalização dos grandes contribuintes será mantido e que grandes projetos que estão em andamento na Receita serão mantidos e receberão apoio.

 

Acrescentou que o secretário da Receita "cumpre as determinações do ministro" da Fazenda, "como sempre aconteceu".

 

Colaborou Angela Lacerda, de O Estado de S. Paulo

Tudo o que sabemos sobre:
CartaxoLinaReceita Federal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.