Carta do Conselho de Lula mostra preocupação com juros

Pela primeira vez, uma carta de consertação do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social trata do problema das elevadas taxas de juros do País. O documento de 28 tópicos, que recebeu o nome de "Fundamentos para um novo contrato social ", divulgado ao final da reunião, revela a preocupação dos conselheiros de que ocorra uma redução gradativa das taxas de juros o quanto antes. "Existe uma perspectiva inicial de redução da dívida relativamente ao produto, seja pela própria queda do dólar seja pelas medidas de controle e ajuste fiscal que somente podem ser mantidas desde que ocorra uma gradativa redução na taxa de juros, o que deve iniciar o quanto antes", afirma o documento. A idéia inicial discutida no conselho, apresentada por Antoninho Marmo Trevisan, previa a elaboração de um documento exclusivo tratando da necessidade de redução imediata das taxas de juros. A idéia, no entanto, não obteve consenso em função da resistência de vários conselheiros. Os conselheiros acertaram então com o secretário-executivo do Conselho, ministro Tarso Genro, que a preocupação com os juros e retomada do crescimento fosse apresentada ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Na carta, os conselheiros consideraram "responsável" a atual política econômica que "em pouco tempo vem ganhando confiança e criando um clima mais favorável junto aos mercados financeiros, o que se reflete inclusive na redução do risco Brasil". Afirma também que, apesar do risco de uma crise recessiva, já se verifica o arrefecimento da inflação obtido por meio de mecanismo de metas e garantido tanto pela desvalorização do dólar quanto pelo controle mais rigoroso no reajuste de tarifas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.