Carros doados pela Assembleia serão vendidos por 50% do preço

Fundo de Solidariedade alega ?caráter social? da venda para prefeituras

Silvia Amorim, O Estadao de S.Paulo

27 de fevereiro de 2009 | 00h00

Os 120 veículos que foram usados até o ano passado pelos deputados da Assembleia Legislativa de São Paulo e acabaram doados para o Fundo de Solidariedade do Estado serão vendidos por até metade do preço de mercado. Avaliados pelo Legislativo em 2008 entre R$ 30 mil e R$ 39 mil - conforme o estado de conservação - , os carros modelo Astra, ano 2006, estão sendo oferecidos a R$ 19 mil. A venda está restrita a prefeituras paulistas. O fundo alega "caráter social" para o preço baixo.Em dezembro, antes de entrar em recesso, a Assembleia renovou toda sua frota, numa compra de R$ 7,9 milhões. Os carros antigos - 120 Astra, 14 Bora, 10 Uno, 2 Gol e 2 Kombi - foram entregues ao fundo, presidido pela primeira-dama Monica Serra. A justificativa foi que, em leilão, o Legislativo não conseguiu o valor mínimo estipulado pela Casa para se desfazer do patrimônio. Eles foram avaliados em R$ 4,5 milhões. Os interessados teriam oferecido R$ 2 milhões.O fundo social não tem uma previsão de arrecadação com a venda dos 148 veículos. Todo o dinheiro será aplicado em projetos da própria entidade. No caso dos outros veículos o desconto é menor.A frota está há quase dois meses em um pátio da Secretaria da Agricultura. A visitação para a compra começou na semana passada. Se ao fim do processo restarem unidades, o fundo fará um leilão público.O chefe de gabinete do fundo, Murilo Giannini Bertolatti, admitiu que em leilão o valor arrecadado por carro é maior do que o obtido com a venda direta aos municípios, mas ressaltou o cunho social da operação. "No leilão você pega um valor melhor, mas tem o caráter social do fundo, que nesse caso é ajudar as prefeituras a melhorarem sua estrutura e o atendimento na área social."Segundo Bertolatti, apenas prefeituras que comprovarem o uso "social" do veículo - seja por um fundo social municipal ou por uma secretaria de assistência social - poderão participar. Dos 645 municípios paulistas, 640 têm fundo constituído.Ele afirmou ainda que a venda às prefeituras foi uma decisão do conselho deliberativo do Fundo de Solidariedade e está amparada em parecer da Procuradoria-Geral do Estado. "No ano passado vendemos dez veículos", disse. Por enquanto, nenhuma venda foi feita. Ainda está na fase de pedido de reserva. A corrida pelos carros começou na semana passada mesmo. O prefeito de Pereiras, Roberto Luiz da Silveira (PSDB), foi um dos que passaram no pátio para conferir a frota. "É um bom negócio. O preço está muito abaixo dos de mercado", comentou. Ele disse que ficou sabendo por deputados da venda e agora aguarda um comunicado sobre o valor do veículo. O Astra, segundo ele, substituiria um Palio que atende ao fundo social municipal. "Quando chove entra água nele." Também atraído pelo preço, o prefeito de Itararé, Luiz César Perucio (DEM), visitou o pátio. "A prefeitura está precisando, mas ainda não decidimos se vamos comprar." NÚMEROS120 veículosAstra, ano 2006, foram doados pela Assembleia paulistaR$ 39 milé o valor de mercado desse modeloR$ 19 milé o valor pedido pelo Fundo de Solidariedade do Estado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.