Cármen Lúcia vota pela condenação de 12 réus

Ministra considerou culpados Roberto Jefferson, Emerson Palmieri e Romeu Queiroz

Ricardo Brito, da Agência Estado

27 de setembro de 2012 | 17h34

A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), votou nesta quinta-feira, 27, pela condenação de 12 réus no processo do mensalão. Cármen Lúcia considerou que não houve formação de quadrilha em nenhum dos núcleos partidários. A ministra pediu para se manifestar antes do ministro Dias Toffoli. Ela terá de se ausentar porque seguirá para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Corte da qual é presidente.

Do PP, a ministra votou pela condenação do ex-presidente do partido Pedro Corrêa, do ex-líder da bancada na Câmara Pedro Henry e do ex-assessor da legenda João Cláudio Genu pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ela também condenou os sócios da Bônus Banval, Breno Fischberg e Enivaldo Quadrado.

No caso do extinto PL, Cármen Lúcia votou pela punição pelos mesmos crimes do ex-presidente do partido e deputado federal Valdemar Costa Neto, do ex-deputado Bispo Rodrigues e do ex-tesoureiro do partido Jacinto Lamas. Ela, entretanto, votou pela absolvição do ex-assessor do partido Antonio Lamas.

A ministra também considerou culpado o presidente do PTB e delator do mensalão, Roberto Jefferson, o ex-deputado federal pelo partido Romeu Queiroz e o ex-secretário-geral da legenda Emerson Palmieri.

Por último, Carmén Lúcia votou pela condenação do ex-líder do PMDB na Câmara dos Deputados José Borba.

Tudo o que sabemos sobre:
mensalaojulgamentoCármen Lúcia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.